Automotive Business
Siga-nos em:

Notícias

Ver todas as notícias
Concorrência avança e GM anuncia 20 novos lançamentos até 2022
Chevrolet Onix, o carro mais vendido no Brasil, será renovado em 2019

Indústria | 17/05/2018 | 19h11

Concorrência avança e GM anuncia 20 novos lançamentos até 2022

Promessa é de maior renovação de produtos da história da empresa

PEDRO KUTNEY, AB

Com produtos envelhecidos que começam a perder espaço para o avanço mais rápido da concorrência, a General Motors Mercosul reagiu com a promessa de renovar completamente sua linha de produtos. A GM anunciou que vai apresentar 20 veículos e 10 novas versões na região até 2022, a maioria fabricada no Brasil, outra parte na Argentina e alguns importados de outros países. A montadora fez a informação circular em uma lacônica nota na manhã da quinta-feira, 17, após seu presidente ter adiantado as informações em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo.

“Esta é a maior renovação da linha Chevrolet na história da marca na região. Os novos produtos vão surpreender o mercado com conteúdo e tecnologias inéditas”, promete na nota Carlos Zarlenga, presidente da GM Mercosul.



Com o atraso de Fiat e Volkswagen em lançar produtos interessantes nos últimos anos, a GM conseguiu ultrapassar seus dois principais concorrentes e em 2016 assumiu a liderança do mercado brasileiro, graças a seus dois modelos bem aceitos, o hatch Onix e seu derivado sedã Prisma, ambos fabricados em Gravataí (RS), hoje responsáveis por mais de 65% das vendas da montadora no País. Recentemente, contudo, essa situação começou a se inverter: a GM ficou sem novidades e a concorrência está avançando mais rápido, especialmente a Volkswagen. Daí a necessidade de anunciar lançamentos que só vão acontecer em maior volume a partir de 2019, para tentar segurar a freguesia diante do assédio das outras marcas.

Com ofertas tecnológicas superiores por meio de Polo e Virtus, começaram a fazer efeito os primeiros dos 20 lançamentos anunciados pela Volkswagen no Brasil até 2020. No primeiro quadrimestre deste ano, a marca alemã reduziu pela metade sua distância de participação de mercado em relação à GM, que caiu de cinco pontos porcentuais um ano atrás (17,7% contra 12,7% da VW) para 2,4 pontos agora (17% versus 14,6%). A Volkswagen já é a segunda marca mais vendida do País (passou a Fiat) e não disfarça sua projeção de subir ao topo.

O movimento é explicado pela grande diferença de velocidade das vendas entre as duas concorrentes, causada justamente pelo efeito das novidades de uma sobre a outra. Enquanto os emplacamentos de janeiro a abril da Volkswagen avançaram 39% na comparação com o mesmo período de 2017, quase o dobro da expansão de 20% do mercado total, o desempenho da GM ficou abaixo da média, com crescimento de 15,8%.

RENOVAÇÃO TOTAL



Segundo fontes e especulações de mercado, as principais novidades da GM devem começar a aparecer de fato no ano que vem, com o início da fabricação de modelos sobre a plataforma GEM, desenvolvida na China para mercados emergentes (ou subdesenvolvidos), com padrão tecnológico e de acabamento mais baratos.

Para 2019 é esperada renovação dos líderes de vendas da GM, Onix e Prisma. Além de renovação de design, os dois devem estrear uma linha de motores a ser fabricada em Joinville (SC), que vai substituir a envelhecida gama nacional atual cujo projeto tem mais de 20 anos. São esperados novos propulsores 1.0 de três cilindros e 1.4 de quatro, este com versões aspirada e turbo.

Seguindo o efeito-manada – e a Volkswagen que vai colocar cinco SUVs no mercado até 2020 –, a GM também vai ampliar bastante sua oferta de utilitários esportivos, hoje composta por um único (e caro) modelo nacional, o Trailblazer derivado da picape S10, e pelos importados mexicanos Tracker e Equinox. Todos eles devem ser renovados e espera-se a produção no Mercosul de dois novos SUVs compactos derivados da plataforma GEM, o menor de todos em São Caetano do Sul (SP), outro pouco maior (entre Tracker e Equinox) a ser produzido na Argentina. No país vizinho deve nascer ainda uma nova picape compacta aumentada, do tipo Fiat Toro ou Renault Oroch.

Também está prevista a renovação de todo o resto da gama Chevrolet, incluindo os preferidos dos taxistas, o monovolume Spin, que deve ser apresentado em breve, e o sedã Cobalt. O Cruze em versões hatch e sedã fabricado na Argentina deve ganhar nova plataforma, uma vez que a atual é projeto da alemã Opel, ex-subsidiária da GM que ano passado foi vendida ao Grupo PSA.

Some-se a tudo isso novas gerações de importados, como o novo esportivo Camaro e o elétrico Bolt, ambos já confirmados para o mercado brasileiro.



Tags: General Motors, GM, indústria, lançamentos, Mercosul.

Comentários

  • RicardoFloriani

    Élançamento para ninguém colocar defeito!

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

AB Inteligência