Automotive Business
Siga-nos em:

Notícias

Ver todas as notícias
Metade das empresas automotivas não tem iniciativas para inovar

Negócios | 01/11/2017 | 12h58

Metade das empresas automotivas não tem iniciativas para inovar

Conclusão é de pesquisa realizada com a cadeia produtiva no Brasil

GIOVANNA RIATO, AB

Metade das empresas do setor automotivo instaladas no Brasil ainda não têm iniciativas e processos para informar internamente. Quando há esforços para inovar, em geral é ainda muito focado em evolução tecnológica, não na abordagem do negócio como um todo. Estas são algumas das conclusões de levantamento realizado com leitores da newsletter Automotive Business. A pesquisa teve quase 200 respostas, principalmente de profissionais que trabalham em empresas de autopeças e montadoras, incluindo diretores, vice-presidentes e presidentes.

- Veja aqui todos os resultados da pesquisa sobre inovação
- Veja outros estudos e estatísticas em AB Inteligência

Dos entrevistados, 50% apontaram que as companhias em que atuam estimulam fortemente a inovação, inclusive com processos estabelecidos para isso. O dado preocupante, no entanto, está na outra metade dos participantes, que apontou que suas empresas ainda não contam com métodos para inovar. Deste grupo, 19,2% afirmaram que o estabelecimento de processos para inovação está em estudo. Fatia de 21,9% reconheceram no levantamento que as indústrias em que trabalham apoiam a inovação no discurso, mas sem iniciativas formais ou disposição para assumir riscos. Grupo de 8,5% declarou ainda que trabalham em organizações que simplesmente não investem em inovação ou que não priorizam ações que não estejam ligadas a tecnologia.

A falta de habilidade da cadeia automotiva para trabalhar inovação pelo viés humano, não apenas do ponto de vista de engenharia e Pesquisa & Desenvolvimento (P&D) já foi identificado por Valter Pieracciani, diretor da Pieracciani, consultoria especializada no tema. Em entrevista a Automotive Business em julho deste ano o especialista apontou que as empresas permanecem muito concentradas nesta área e não percebem outras oportunidades (leia aqui).

No levantamento, ao enumerar as ações mais importantes para tornar uma empresa inovadora, 58,1% dos participantes destacaram a necessidade de investir em tecnologia. Por outro lado, receberam número equivalente de votos ações como empenho da liderança, colaboração interna e externa e empoderamento dos funcionários.

É curioso notar, no entanto, que apesar de apostar na tecnologia como principal meio para inovar, a maioria das companhias pesquisadas não prioriza a geração de patentes no Brasil: 25,1% acreditam que isso é responsabilidade da matriz das empresas no exterior e 39,6% dos respondentes admitiram que não há qualquer preocupação em gerar patentes. Uma fatia menor, de 25,2%, indicou que o assunto é prioridade tanto na sede global da companhia, quanto na operação local.

MENOS HIERARQUIA E INOVAÇÃO ABERTA

Um dos dados positivos evidenciados na pesquisa é uma transformação na cultura organizacional das empresas automotivas. Este é um dos aspectos relevantes para estimular a inovação internamente. Enquanto 27% dos participantes consideram a empresa em que trabalham bastante hierárquica, 26,5% acreditam que já atuam em modelo mais colaborativo. Fatia de 33,5% dos entrevistados sinalizou ainda que suas companhias ainda contam com estrutura hierárquica, mas estudam a transição para modelo mais cooperativo.

Outra mudança importante sinalizada na pesquisa é o interesse maior das empresas do setor por inovação aberta, aquela feita com startups, outras companhias ou em parceria com instituições de ensino e universidades. Dos participantes, 17,5% afirmaram que a empresa em que trabalham tem programa de inovação aberta em curso. Já 23,8% estudam o desenvolvimento de algo do gênero.



Tags: inovação, pesquisa, indústria automotiva, engenharia.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

AB Inteligência