Automotive Business
Siga-nos em:

Notícias

Ver todas as notícias
Déficit nas autopeças chega aos US$ 4,1 bi

Balanço | 30/10/2017 | 19h35

Déficit nas autopeças chega aos US$ 4,1 bi

Valor no acumulado de 9 meses já é próximo da projeção anual de US$ 4,5 bi

REDAÇÃO AB

A balança comercial de autopeças atingiu no acumulado até setembro o déficit de US$ 4,1 bilhões, registrando alta de 6,8% no confronto com o mesmo período do ano passado. O valor no acumulado de nove meses está pouco abaixo dos US$ 4,5 bilhões de déficit projetados para todo o ano de 2017. As exportações cresceram 10,5%, somando US$ 5,4 bilhões, e as importações aumentaram 8,9%, totalizando US$ 9,5 bilhões.

Os números foram divulgados pelo Sindicato Nacional da Indústria de Componentes para Veículos Automotores (Sindipeças) a partir de dados fornecidos pelo Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC).

-Veja aqui o novo estudo do Sindipeças
-Veja aqui outros dados divulgados pela entidade
-Veja outras estatísticas em AB Inteligência

O Sindipeças ressalta que desde maio o crescimento dos embarques vem superando o das compras externas quando confrontado com o mesmo mês de 2016. Como comparação, o déficit no acumulado até abril de 2017 registrava alta de 31,5%, bem mais que os 6,8% atuais. Assim, é possível que até o fim do ano o déficit total se iguale ou fique ligeiramente abaixo dos US$ 5,26 bilhões registrados em 2016.

A Argentina permanece como maior cliente brasileiro e adquiriu US$ 1,68 bilhão em componentes no acumulado do ano, 23% a mais do que no mesmo período do ano passado. Sozinha ela responde por 31% de todas as autopeças que o Brasil vende para o exterior.

Vale dizer também que, dos 20 maiores destinos dos itens brasileiros, as exportações só registraram queda para quatro países: Holanda (-13,6%), França (-0,9%), Tailândia (-12,9%) e Suécia (-25,9%). As vendas para o Chile subiram 26,2%, para a Colômbia, 18,3%, e para o Paraguai, 24,7%.

A China, maior fornecedor para o Brasil, enviou no acumulado dos nove meses US$ 1,14 bilhão em componentes automotivos. Esse total é 27,9% maior que o do mesmo período do ano passado. Em seguida vêm os Estados Unidos, com US$ 1,1 bilhão e queda de 7% ante o mesmo período do ano passado. A Alemanha, terceira colocada, registrou leve alta de 3,5% ao vender US$ 995,9 milhões em componentes ao Brasil no acumulado até setembro.

O Sindipeças informa que as exportações e importações se concentram em São Paulo. Em 2016 o Estado representava 48% dos embarques e 50,5% das compras externas. Neste ano os números passaram para 52,8% e 52,7%, respectivamente.



Tags: Autopeças, déficit, balança comercial, exportações, importações.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

AB Inteligência
http://www.askona.ua/

Был найден мной авторитетный веб портал со статьями про криптовалюта.
Был найден мной важный портал , он описывает в статьях про магнит виниловый.