Automotive Business
Siga-nos em:

Notícias

Ver todas as notícias

Legislação | 29/11/2012 | 16h43

Governo prorrogará PSI por mais um ano, diz Mantega

Programa que oferece juros baixos para compra de bens de capital terminaria em 31 de dezembro

REDAÇÃO AB

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, anunciou que o governo prorrogará por mais um ano o Programa de Sustentação do Investimento (PSI), medida criada em junho de 2009, durante a crise internacional, e que terminaria no próximo dia 31 de dezembro. O programa oferece crédito subsidiado do BNDES para a aquisição de bens de capital, como caminhões, ônibus, máquinas e equipamentos, com juros mais baixos como forma de estímular os investimentos no País.

A prorrogação foi divulgada pelo ministro em entrevista ao jornal Folha de S.Paulo, em reportagem publicada na quinta-feira, 29. “O PSI vai ser renovado, no entanto sofrerá algumas modificações”, disse Mantega, sem mencionar se manteria os juros praticados atualmente.

No fim de agosto, o governo realizou a quarta modificação do programa, batizada de PSI 4, reduzindo ainda mais as taxas de juros dos financiamentos contraídos pelo PSI. Para caminhões e equipamentos, incluindo máquinas agrícolas, a taxa passou de 5,5% ao ano para 2,5% a.a., com vigência até 31 de dezembro (leia aqui). Para o segmento de ônibus, a taxa foi reduzida dias depois, atendendo pedido da Fabus, associação das fabricantes de chassis (leia aqui).

A redução trouxe alívio para os fabricantes de veículos comerciais. O próprio ministro mostrou a evolução do mercado de caminhões durante sua explanação na 32ª Reunião do Fórum Nacional da Indústria, promovido pela CNI e realizada na sexta-feira, 23, em São Paulo. A partir de dados da Fenabrave, o ministro mostrou que a média diária de licenciamento de caminhões cresceu 31% e passou de 517 unidades em outubro para 677 unidades em novembro, considerando vendas até o dia 14 deste mês.

Na reportagem da Folha, Mantega afirma que a meta é transformar os investimentos no "carro-chefe" da economia, crescendo 8% em 2013 e 12% em 2014, recuperando-se do tombo deste ano, quando devem recuar até 3%.

A prorrogação do PSI faz parte do que o ministro chamou de “mais medidas de pró-crescimento da economia”. Além dela, o governo incluirá mais setores na lista de beneficiados pela desoneração da folha de pagamento.

“Vamos continuar desonerando porque o custo da mão de obra é fundamental para dar competitividade às empresas brasileiras. Não posso antecipar porque estamos discutindo com os setores. Estamos vendo qual é a alíquota, se cabem todas as empresas do setor. A generalização da desoneração da folha é um processo que vai ocorrer ao longo do tempo, de modo que em algum momento teremos uma desoneração plena da economia.”



Tags: PSI, Programa de Sustentação do Investimento, Guido Mantega, bens de capital.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

AB Inteligência
avtopoliv-gazonov.kiev.ua

adulttorrent.org/search/ts orgasm

там np.com.ua