Automotive Business
Siga-nos em:

Inovação

Ver mais notícias
Carro semiautônomo da Tesla se envolve em mais um acidente

Tecnologia | 30/05/2018 | 17h11

Carro semiautônomo da Tesla se envolve em mais um acidente

Com Autopilot ligado, Model S bateu em carro de polícia que estava estacionado

REDAÇÃO AB

Mais uma vez um carro da Tesla se envolve em um acidente com o Autopilot ativado, o sistema de condução semiautônoma da companhia. Desta vez a colisão aconteceu em Los Angeles e foi particularmente embaraçosa. Um sedã Model S bateu em um carro de polícia que estava estacionado e felizmente desocupado. O condutor era um homem de 65 anos que teve apenas ferimentos leves. Mais ninguém se machucou. O motorista confirmou à polícia local que o Autopilot estava ligado. O acidente dá continuidade a uma série de outros impactos envolvendo carros da Tesla com a condução semiautônoma ativada, incluindo uma colisão no começo de maio, outra há cerca de dois meses e mais uma em 2016.

MOTORISTAS SÃO RESPONSÁVEIS POR MANTER A ATENÇÃO NA PISTA



Posicionamento enviado ao TechCrunch tenta isentar a montadora da culpa. A empresa aponta que, quando o Autopilot é ativado, os condutores são lembrados continuamente de que precisam manter as mãos no volante e permanecer no controle do veículo. Além disso, a companhia destaca que as pessoas são alertadas de que a tecnologia foi desenvolvida para ser usada em estradas bem sinalizadas.

O sistema de condução semiatônoma da marca foi lançado em 2015 com a meta de dar alívio aos motoristas dos aspectos mais tediosos e perigosos da condução, com recursos como frenagem automática de emergência e alertas de possível colisão. Ainda assim, a tecnologia nunca se propôs a substituir de fato o motorista humano.

Recentemente algumas empresas, como a Ford, desistiram de oferecer no mercado veículos com níveis intermediários de automação, em que o carro é capaz de rodar sozinho em determinas condições, mas o motorista humano deve se manter atento para assumir a direção quando for preciso. Testes indicaram de que estes termos são arriscados, já que o condutor tende a se distrair e, portanto, a solução ideal seria oferecer direto automóveis com automação plena. Talvez os acidentes com o Autopilot da Tesla sejam mais um indício de que não é prudente contar com a atenção humana nestas condições.



Tags: Tesla, Autopilot, semiautônomo, tecnologia, colisão.

Veja também

AB Inteligência